quarta-feira, setembro 23, 2009

Amor confiante, oração atendida


"E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, Ele nos ouve. E se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que já alcançamos as coisas que lhe temos pedido" I Jo 5.14,15


Umas das mais belas descrição joanina, para os crentes esperançosos! Digo esperançoso. Afinal a tônica da carta de João, além de enfatizar o Amor Verdadeiro, valida também a esperança. Resultando numa confiança. A esperança em Deus é alimentada pelo amor que temos a Deus e em Deus, de forma, por essa esperança procura me tornar como Ele. E quando me purifico para esperança proposta a mim de que um dia O verei como Ele é, o meu coração novo nascido, testificará a minha certeza de que Jesus é o Filho de Deus e redundará em amor aos filhos de Deus. Quando leio a carta de João, sempre me vem a mente um modo "sistêmico" de relacionalidade entre Deus-Eu-o próximo.


Nessa relação de amor e entrega voluntária, gerará uma confiança. E é dessa confiança do qual o apóstolo fala. É na oração confiante no amor cuidadoso do Pai, temos a certeza de sermos atendidos. Agora uma condição: segundo a sua vontade- Bem, essa não é uma boa idéia para alguns, visto que as aspirações, quase que absoluta são de natureza egocêntrica, carnal, luxuriosa. De onde vem a resposta "Não" de Deus, conforme disse Tiago, simplesmente para gastarmos nos nossos deleites e prazeres.

Ora, isso é simples, quando o meu coração está carregado de temor, amor, rendição, submissão ao Pai, a resposta só poderá ser "Sim". No verso seguinte se diz que se teu irmão pecar, você deve interceder por ele, e Deus o ouvirá. Uma das respostas das nossas orações é a re-edificação do irmão caído. Para esse tipo de oração a resposta de Deus sempre será SIM.

Deus se interessa por essa oração. Baseado nela você pode sempre orar.

Em outros aspectos, não tenha medo de pedir a Deus. Cristo foi relutante em dizer que a perserverança faz parte do "script" da oração do filho de Deus. Leia Lucas 18.

Deus se alegra em nos atender, desde que em conformidade com a Sua vontade. Então cai por terra aqui todas aquelas famigeradas expressões de decreto e determinações. Não determinamos nada. Deus determina e decreta. A soberana vontade Dele é mais alta do que minhas meras palavras.

Lendo esse texto, ecoa a palavra do Mestre, "pedi, buscai,batei". A afirmação segura de um coração insistente em produzir a Vontade de Deus na vida.


Medite nisso!!!

Mário Celso, crendo poderosamente em Deus para responder as nossas orações

Teresina, 23 de Setembro de 2009



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails