terça-feira, setembro 29, 2009

O Chamado De Davi: Feito com Graça



" ...já tem o Senhor buscado para si um homem segundo o seu coração, e já o tem destinado para ser príncipe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou".

"Enche o teu vaso de azeite, e vem; enviar-te-ei a Jessé o belemita, porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei".

I Sam 13.14b; 16.1b



Os livros de Samuel, revela-nos o trato de Deus com o seu povo Israel. O profundo cuidado divino em colocar em Israel, como nação escolhida por Seu Designio, para luz às nações, como detentora dos oráculos, e em tempo oportuno revelar o Rei-Messias.

Nas primeiras cenas do livro, já notamos a dedicação, o zelo,o compromisso de Samuel para realização dos propósitos de Deus para Seu povo.

Depois vemos a pecaminosidade dos pedidos de um povo rebelde, quando pedem para si um rei, segundo costumes das nações. Era o que regulamentava o coração obstinado de cada um deles.É melhor uma monarquia-insubmissa a uma teocracia orientada. Era essa a opinião resoluta da mente paganizada.
Aparece então a figura do camponês transformado em rei. Saul, que de forma humilde na sua "beginning" de vida, apesar de caráter enigmático, faltava-lhe a perseverança e um coração dobrado à vontade divina. Já ecoava-se em seus ouvidos a rejeição dessa escolha. No episódio mais marcante dessa rejeição foi ouvir um sinal audível de chuvas fortes e trovoadas. (I Sam. 12).
Logo, o caráter bipolar de Saul revela-se. O proceder de forma néscia, louca, compulsiva vem à tona. Oferecer sacríficios, era uma forma dissimulada de rebeldia. O importante não é a fôrma e sim a FORMA. A essência dessa FORMAlidade estava em voga.A loucura do ato emulado pela desobediência. De que adianta oferecer o melhor dos holocaustos se a minha consciência-poluta-contumaz se sobressai.
Daí vem a resposta de Deus, através de Samuel. Não subsistiria ante o crivo divino. Amargurava-se a rejeição. A Graça soberana de Deus estava há muito tempo operando num secreto "search" um homem segundo o seu coração. Davi, o amado na sua significação semântica-hebraica, mas que também confirmou esse amor a Deus por toda a sua vida.
Samuel então o unge como príncipe do seu povo.O próprio Deus então faz a provisão de um rei. Notemos a diferença das unções. Saul é ungido com vaso de azeite (provisão humana), Davi no entanto ungido com um chifre(logicamente de animal, provisão divina).Apesar de algumas versões traduzirem "vaso", porém no original hebraico "queren" significando "chifre de animal".
O que quero ressaltar aqui, é a Graça Soberana de Deus a escolher Davi como rei. Não houve antes nenhuma procuração pública de que há vagas para rei em Israel, mas sim um procuração divina em secreta graça para o menino ruivo, de boa aparência e sisudo em palavras.
O chamado de Davi para ser rei em Israel, é produto da puríssima Graça de Deus. Imprimindo na mente desse jovem guerreiro a Palavra no qual transbordava em salmos poéticos,ora imprecatórios,ora meditativo e adorador, de forma que a vida de Davi foi marcada de graça, virtude, amor, para com o Deus de Israel., ao ponto de ser segundo o coração de Deus.
A Graça de Deus hoje nos prova em Cristo, que a escolha dEle por nós mesmo sendo feita antes da fundação do mundo, para sermos filhos do Seu amor, para vivermos em conformidade com a Sua Palavra, em um processo de Santificação sem neurose, mas de uma consciência pura, de um viver em submissão a Deus em amor.
Assim foi a vida de Davi, assim poderá ser a nossa vida para com Deus. Um contínuo reflexo do Amor de Cristo, sendo nós peregrinos dessa extensa caminhada.
Mário Celso,
29 de Setembro de 2009



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails